Dados sugerem que ômicron não provoca casos graves e escapa a quem está vacinado

 

    Há seis casos confirmados da variante ômicron no Brasil. Apesar de o problema ser preliminar no território nacional, começam a surgir os primeiros dados sobre as pessoas infectadas em agências internacionais. É possível perceber uma tendência: há escape para quem está vacinado e os casos tendem a ser leves.

    Os dados vêm da província de Gauteng, epicentro da ômicron na África do Sul, e do Reino Unido. A Agência de Segurança e Saúde britânica informou que, de um grupo de 22 casos, apenas seis não estavam vacinados e dois tinham status vacinal desconhecido. No Brasil, já se sabe que as três primeiras pessoas infectadas com a variante ômicron já tinham seu esquema vacinal completo. Nos EUA, há um caso positivo em pessoa vacinada com três doses.

    Já estava claro que a variante tem escape à infecção natural, ou seja, quem foi infectado previamente por outra variante da covid não está protegido contra a ômicron. Quem afirma isso é o geneticista Salmo Raskin, diretor do Laboratório Genetika, de Curitiba. 

    Em entrevista ao GLOBO, o profissional explicou que existe um escape para quem está vacinado. “Aparentemente, agora que já passaram três semanas desde a detecção da Ômicron, o número de casos graves é pequeno e não houve mortes confirmadas. Então, dados preliminares sugerem que as pessoas vacinadas não vão ter uma doença grave”, comenta.

    Segundo o geneticista, o cenário deve ficar mais claro em cerca de sete dias: “Devemos saber em uma semana porque vão sair os resultados de estudos laboratoriais: soros de convalescentes, anticorpos monoclonais com a ômicron, vacinas contra a variante. As culturas virais demoram para ficar prontas e ser analisadas. Além disso, vamos ver a evolução dos casos, que geralmente se definem depois de entre 7 e 10 dias”, explica.


TRIBUNA DO NORTE

PARÓQUIA DE MACAU; PROGRAMAÇÃO DA 8ª NOITE DO NOVENÁRIO EM HONRA A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO 2021

 


É TEMPO DE TRABALHO: PREFEITO DE MACAU VISITA COMPLEXO EDUCACIONAL INFANTIL JOANA SAMPAIO QUE PASSA POR REFORMA

 O Complexo de Educação Infantil Joana Sampaio Marinho é mais uma escola que está sendo reformada na gestão do prefeito José Antônio de Menezes. 

Funcionando em uma estrutura precária, o complexo está recebendo forro novo em salas de aula, revestimento em cerâmica nas paredes, recuperação de piso e ampliação de espaços com acessibilidade, além de melhorias na estrutura hidráulica e elétrica do prédio e na fachada. 








Quase 25% dos estudantes potiguares não tiveram acesso a atividades escolares em 2020, diz IBGE

     

    Mais de 24% dos estudantes de 6 a 17 anos não tiveram atividades escolares disponibilizadas ao longo do ano de 2020, quando começou a pandemia da Covid-19, segundo levantou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Este foi o segundo maior percentual entre os estados do Nordeste, atrás apenas da Bahia (28,7%). Na região, a média foi de 15,8%.

    No estado, as aulas foram suspensas em março de 2020 por causa da pandemia da Covid-19. Embora a rede privada tenha retomado aulas presenciais ainda no ano passado, as escolas públicas só voltaram às atividades presenciais em julho de 2021 e passaram a receber 100% dos alunos em outubro.

    Os dados sobre o acesso às atividades escolares são da Síntese de Indicadores Sociais 2021 do IBGE, que analisa condições de vida da população brasileira a partir de dados e indicadores de pesquisas do Instituto e de outras instituições que produzem estatísticas oficiais.

    De acordo com o estudo, o Ceará foi o estado nordestino com o percentual mais baixo de não disponibilização de atividades durante o período não presencial (3,3%).

Menos de 1h por dia

    Ainda de acordo com o levantamento, 14,8% dos estudantes potiguares na faixa etária levantada dedicaram menos de 1h por dia para realizar as atividades escolares. No que se refere ao máximo de tempo na pesquisa, 5 horas ou mais, o Piauí registrou os estudantes com maior percentual (10,5%).

    No Nordeste como um todo, o período de tempo mais dedicado aos estudos foi entre 2h e menos de 5h, com 48,4% de respostas.


Estudantes sem computador e internet

    No que diz respeito ao acesso à internet, apenas 38,4% dos estudantes de 13 a 17 anos das escolas públicas potiguares possuíam computador e acesso à internet. Embora possa parecer pouco, esse foi o maior percentual do Nordeste.

    No caso das escolas particulares do RN, este percentual é de 85,8%. Segundo o IBGE, o cenário mostra como o acesso à rede mundial de computadores é um desafio para a adoção de estratégias de ensino remoto no estado.

    "Demonstra, também, como essas restrições de acesso podem ter aprofundado a desigualdade na educação básica do país", informou o órgão.


40% das escolas públicas sem pia e sabão

O levantamento também apontou que 66,5% contavam com pias em condições de uso e acesso à sabão.

Quando considerada somente a rede pública, apenas 60,3% das unidades contavam com essa estrutura básica. Já na rede privada, o percentual chegou a 97,2%.

No Nordeste, toda a rede particular obteve valores acima de 94%, enquanto que na rede pública apenas superou os 70% o Maranhão (76,1%).

Dois estados dispunham na rede pública de menos da metade das escolas com acesso a esse recurso: Bahia (44,4%) e Pernambuco (49,2%).


G1 RN

3º BREGA RASGADO EM MACAU

 Neste domingo aconteceu em Macau na arena Brega Fest (Largo Cultural). Como atração principal o Cantor PABLO e as bandas Circuito Musical Tete pessoa e Paulo Breno, a festa reuniu pessoas de Macau e região.