O discurso do medo contra o Coronel Fernandes revela a fragilidade de alguns políticos

A quem interessa denegrir a imagem do Coronel Fernandes? A quem interessa lembrar a sua naturalidade em ano pré-eleitoral, questionando a legitimidade de uma provável candidatura sua a prefeito de Macau em outubro próximo?

Essas questões amanheceram certamente na cabeça de muitos cidadãos macauenses que observam atentamente a cena política e já sabem os interesses escusos que estão por trás de especulações maldosas que ganham as redes sociais, geralmente bem encomendadas por quem se sente ameaçado pela presença do Coronel nas terras de Monsenhor Honório.  

Nas redes sociais também, o Coronel se pronunciou sobre os ataques, eis: “Palavras vazias estão sendo “espalhadas” por quem não tem argumentos para falar de propostas e de renovação. Se estamos agradando, somos de fato apedrejados por aqueles que querem a continuação de um sistema falido que aí está. As pessoas sérias e compromissadas da cidade não tem o que falar da minha pessoa ou pré-candidatura. Tenho uma história correta. Estão querendo denegrir minha pré-candidatura usando o mote de que não tenho certidão de nascimento como filho de Macau, verdade, não nasci aqui. Aqui escolhi pra para ser minha terra, aqui sou eleitor e como tal, voto e tenho o direito de ser votado. Aqui recebi da Câmara Municipal do Município, o Título de Cidadão Macauense, portanto, sou sim filho da minha querida Terra do Sal, sou macauense sim senhor”, desabafou.


Coronel Fernandes recebendo Título de Cidadão Macauense aprovado à unanimidade dos edis

Fonte: Celso Amâncio 

Nenhum comentário: