Dyana chama atenção para o aumento da violência doméstica contra a mulher com a pandemia

Em abril, quando o isolamento social imposto pela pandemia já durava mais de um mês, a quantidade de denúncias de violência contra a mulher recebidas no canal 180 deu um salto: cresceu quase 40% em relação ao mesmo mês de 2019, segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH). Os números crescentes e alarmantes e chamam atenção da presidente da Câmara Municipal de Macau, vereadora Dyana Lira.

Ela lembra que apesar do maior volume de denúncias, o aumento da violência doméstica escapa das estatísticas dos órgãos de segurança pública. “A razão é que, isolada do convívio social, a vítima fica refém do agressor e impedida de fazer um boletim de ocorrência na delegacia”, alerta.

O avanço de casos de violência doméstica na pandemia não ocorre só no Brasil. Outros países que enfrentaram a covid-19 tiveram o mesmo problema. A Organização das Nações Unidas (ONU) tem recomendado medidas para prevenir e combater a violência doméstica durante a pandemia.

Falta de políticas públicas

A vereadora Dyana Lira cobra dos órgãos de segurança e de assistência social do município uma atenção para este tema, tendo em vista que neste mês de agosto se comemora 14 anos da Lei Maria da Penha, marco na punição de agressores de mulheres no país.

Nenhum comentário: