Em Mossoró, Fátima reforça parceria do Governo com setor de petróleo e gás.


A cadeia de petróleo e gás representa um dos principais braços econômicos do Rio Grande do Norte. Para discutir o momento do setor no estado e o futuro dos investimentos, a governadora Fátima Bezerra esteve nesta segunda-feira (23) no Mossoró Oil & Gas Expo e V Fórum Onshore Potiguar, o maior evento do país na área, organizado pela RedePetro RN e pelo Sebrae-RN.

Durante seu discurso, que fechou a solenidade de abertura do evento, a governadora destacou os planos de desinvestimentos da Petrobras no RN, que incluem até a refinaria Clara Camarão, em Guamaré. Por determinação da governadora foi criado um grupo de trabalho envolvendo o Governo do Estado e a Petrobras para discutir a situação da venda de ativos da empresa no estado.

“Mais do que nunca um Fórum como esse é uma excelente oportunidade para a gente aprofundar o debate entre a Petrobras, o Governo do Estado e a iniciativa privada. Entendo que o modelo mais adequado era o modelo híbrido. Mas, nesse cenário de mudança, enquanto essas novas empresas não se instalarem, a Petrobrás tem que manter os níveis de produção para garantir empregos, arrecadação de ICMS e royalties”, afirmou Fátima, perante um público seleto de especialistas do setor de petróleo e gás.

A chefe do Executivo aproveitou ainda para reforçar o clima de parceria entre o poder público estadual e a iniciativa privada, especialmente com relação às novas empresas que se instalaram recentemente no RN após comprarem os campos maduros terrestres de exploração de petróleo. “Não estamos medindo esforços para que tenhamos um ambiente favorável aos negócios aqui no RN. Temos os investimentos em curso da PetroReconcavo, da Empresa Potiguar e da Associação Brasileira dos Produtores Independentes. Estamos sendo proativos e parceiros na celeridade e eficiência do licenciamento ambiental para que os investimentos dessas empresas já se iniciassem aqui em Mossoró, como foram iniciados”, destacou ela. 

O RN continua sendo o maior produtor de petróleo em terra do Brasil e o sexto na produção nacional. Com os novos investimentos nos campos maduros, existe a perspectiva de aumento de produção de petróleo que hoje está em 35 mil barris/dia.

PRODUÇÃO DE GÁS

Outra questão discutida no evento em Mossoró diz respeito à produção de gás no Estado. Desde o ano passado, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e a Potigás tratam com a Petrobrás da liberação do acesso das empresas privadas à Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) de Guamaré. Há estimativas de que a medida pode diminuir o preço do gás natural em até 30%.

Para Fátima Bezerra, é vital que as empresas tenham acesso à UPGN, ampliando a produção e reduzindo o preço para os mais de 28 mil clientes da Potigás. “Estamos cobrando da Petrobras que isso seja resolvido o quanto antes. Fomos ao Rio de Janeiro, tivemos uma boa reunião com a Petrobras e também com a ANP. Esperamos que essa situação seja resolvida o quanto antes”, comentou a governadora.

O Mossoró Oil & Gás Expo e V Fórum Onshore Potiguar seguem até o dia 26, com discussões e reuniões por videoconferência que devem reunir cerca de três mil participantes e 60 empresas fazendo negócios.

Estiveram presentes na solenidade o senador Jean-Paul Prates (presença virtual), a deputada estadual Isolda Dantas, o Diretor-Geral da ANP, Raphael Moura (presença virtual), o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, o secretário Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro, a reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, o secretário de desenvolvimento econômico de Mossoró, Lahyre Rosado Neto, a diretora-presidente da Potigás, Larissa Dantas, o presidente da RedePetro RN, Gutemberg Dias, o superintendente do Sebrae-RN, Zeca Melo, o vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP), Marcelo Magalhães, a presidente da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), Karine Fragoso, o vice-presidente da Federação das Indústrias do RN (Fiern), Vilmar Pereira, e a diretora da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Heloísa Borges.

Por: Blog do João Marcolino

Nenhum comentário: