Com isolamento baixo e atividade melhor, economistas já veem PIB acima de 4,3%

     Muitos que, antes, falavam na possibilidade até de uma nova recessão no primeiro semestre, já começam a tirar do negativo as projeções de PIB para o primeiro e o segundo trimestre, enquanto os números para o ano completo são também revisados para um resultado mais forte. Se, até um mês atrás, a maior parte das estimativas falava em uma economia rastejante, que cresceria de 2% a 3% em 2021, no máximo, agora já há muitos falando em um crescimento que pode até passar dos 4%.


    O banco BTG Pactual, por exemplo, já fala em crescimento de 4,3% para este ano, ante os 3,5% esperados até então. O Credit Suisse vai na mesma toada e projeta alta de 4%, 0,4 ponto percentual a mais que a projeção anterior de 3,6%. “Dados econômicos suaves em abril já reforçam um cenário positivo para a economia, com apenas um leve impacto do endurecimento das medidas de distanciamento social adotadas ao longo do mês”, escreveu a equipe econômica do banco em um relatório recente a clientes.

    Na XP Investimentos, a revisão foi de 3,2% para 4,2%, por conta de “um ambiente externo [que] voltou a ficar positivo para as economias emergentes”, com os juros globais baixos e as commodities em alta, e de uma economia doméstica resiliente mesmo “em meio à piora da pandemia e à redução da atividade”, de acordo com relatório do economista-chefe do grupo, Caio Megale

    Na média do mercado financeiro, acompanhada semanalmente pelo Banco Central por meio do Boletim Focus, as previsões para o PIB para 2021 vêm crescendo há 4 semanas seguidas e estão hoje em 3,45%. Há um mês, este número estava em 3%.


Fonte: Terra Brasil Noticias

Nenhum comentário: