RN começa aplicação da dose de reforço contra Covid a partir de 15 de setembro, diz Sesap

 

    O Rio Grande do Norte vai começar a aplicar a dose de reforço da vacina contra Covid-19 a partir do dia 15 de setembro, segundo definiu a Secretaria Estadual de Saúde Pública.

    O reforço será aplicado em pessoas a partir dos 70 anos de idade, mas de forma decrescente, começando com aquelas com mais de 99 anos e reduzindo a faixa etária com o passar dos dias. Após os idosos, será a vez das pessoas com baixa imunidade (os imunossuprimidos).

    Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Maia, a data foi definida de acordo com orientação do Ministério da Saúde, que também estipulou esse prazo para começar a enviar as doses do reforço.

Data de início: Sesap afirma que vacinação deve começar dia 15 de setembro, quando o Ministério da Saúde começará a enviar as doses extras aos estados.

Público-alvo: idosos com mais de 70 anos e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos)

Vacinas usadas na dose de reforço: Segundo a Sesap, serão usadas Pfizer e Oxford/AstraZeneca

Quem deve tomar (dos dois grupos): o reforço vale para quem tomou qualquer vacina usada na campanha de vacinação

    A dose de reforço é indicada para os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses. No caso dos imunossuprimidos, eles devem esperar 28 dias após a segunda dose, para poder tomar o reforço.

    Kelly Maia afirmou que o governo já começou o contato com os municípios sobre essa nova etapa da campanha.

    "Esse grupo acima dos 70 anos foi o primeiro imunizado e com o passar dos meses essa proteção vai sendo diminuída, em especial para essa nova variante Delta, que agora tem uma possível circulação comunitária", afirmou.

    "Com a transmissão mais potente da Delta, é fundamental que essas pessoas estejam protegidas. Caso contrário, a gente vai começar a sentir a volta da doença, inclusive na solicitação de leitos, na internação, e possivelmente nos óbitos", acrescentou Kelly.

    As vacinas usadas para reforço serão a da Oxford e Pfizer, independentemente do imunizante usado no esquema vacinal do início do ano, segundo explicou a coordenadora.

    Após as pessoas com mais de 70 anos - grupo estimado em mais de 209 mil idosos - o governo também deverá aplicar dose de reforço nos pacientes imunossuprimidos, que são pouco menos de 4 mil. São pessoas que vivem com HIV/Aids e outras doenças, como as degenerativas.

    "Provavelmente, essa dose de reforço vai ser aquela que anualmente as pessoas vão tomar. A doença, em algum momento, vai virar sazonal, e ai, como a vacina da influenza (gripe), deveremos ter a vacina do coronavírus. Porém, percebendo que ainda existe uma circulação muito latente do vírus e que existem outras variantes circulando, entendeu-se que é fundamental essa dose de reforço para os seis meses", considerou.

    A coordenadora ainda afirmou que não existe previsibilidade para vacinação de outros grupos com a dose de reforço.


Vacinação

    Segundo o sistema RN Mais Vacina, o Rio Grande do Norte já aplicou 3.079.557 doses de vacinas contra Covid-19, sendo que 940,2 mil pessoas já completaram o esquema vacinal e 2.139.358 tomaram pelo menos a primeira dose.


G1 RN

Nenhum comentário: