Governo discute reajuste com sindicato de servidores

    O Governo do Estado discute com os servidores da Administração Direta a concessão de um reajuste nos vencimentos. O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do Estado do Rio Grande do Norte (Sinsp/RN) chegou a anunciar que o reajuste será anunciado pelo Estado no dia 28 de outubro, no Dia dos Servidores Públicos. A secretária estadual de Administração, Virgínia Ferreira, disse que a proposta atual é “incipiente” e que não há data para o anúncio. Mas confirmou a existência da negociação.

    De acordo com publicação do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta, em suas redes sociais, o Governo confirmou que o reajuste será anunciado. O sindicato recebeu a informação pelos secretários de Administração (na última sexta) e de Educação (nesta segunda-feira). A definição de valores ainda não foi confirmada pelo governo e deve ser discutida nos próximos dias. Contudo, segundo Virgínia Ferreira, a proposta não é classificada pelo Executivo como algo "oficial". De acordo a titular da administração, Virgínia Ferreira, o que ocorreu foi uma "conversa incipiente" entre o adjunto da pasta, George Câmara e os representantes dos trabalhadores. 

    O Sindicato afirma que receberão reajuste todos os servidores públicos do Rio Grande do Norte, incluindo aposentados e pensionistas. Na última sexta-feira, o Sinsp esteve reunido com a titular da Administração, Virgínia Ferreira. Virgínia teria confirmado que o Executivo atenderá o pleito do sindicato no próximo dia 28. Já nesta segunda-feira, o Sinsp afirma que Getúlio Marques, titular da Educação, confirmou que a mesma data para que o Governo do RN anuncie os detalhes sobre o aumento.

    O Sindicato que representa os servidores da administração direta defende a proposta apresentada pela Administração em reuniões anteriores. Na proposta, os aumentos teriam início em janeiro de 2022, a começar pelo nível remuneratório 1, para servidores com vencimentos de R$ 1.275,00. "Estamos ansiosos pelo anúncio, pois lutamos muito para que esse dia chegasse", afirma a presidente do Sinsp, Janeayre Souto, que acrescenta que não vai aceitar diminuir o proposto pelo Executivo. 

    O reajuste, caso seja concedido de acordo com os termos do Sindicato, alcançará cerca de 55 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas que estão há 12 anos, segundo o sindicato, sem aumento salarial. O custo mensal para o Governo será de R$ 8 milhões. 

    Virgínia Ferreira aponta que os valores finais ainda não estão definidos. E também não confirma que o reajuste será concedido a todos os servidores, incluindo inativos. O sindicato pedia que a proposição para reajuste atendesse também os trabalhadores inativos, o que o Executivo garante que não ocorreria. O impacto de R$ 8 milhões, de acordo com a pasta, seria referente apenas à melhoria dos vencimentos dos servidores ativos.

    “A proposta [apresentada pelo adjunto] não passou pelo comitê gestor, que se atenta sobre a negociação. Por isso, não se configura em algo oficial", afirmou, acrescentando que a publicização das negociações seria uma forma d e a categoria cobrar publicamente por um reajuste que não ocorre há pelo menos 10 anos para alguns grupos de servidores. No entanto, a auxiliar prega cautela para “bater o martelo” sobre uma data, decisão que só deve ser tomada pela chefe do Executivo Fátima Bezerra (PT).

    “Quem está do lado de cá tem que ter a responsabilidade para não responder por improbidade administrativa. Então, temos que ter cautela”, explica.


TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário: