Senadores têm primeira reunião sobre frente que vai substituir CPI da Covid

 

Senadora Zenaide Maia (no telão) apresentou projeto que cria a Frente
 Parlamentar Observatório da Pandemia, que vai suceder os trabalhos da CPI da Covid

    Os primeiros encaminhamentos sobre a Frente Parlamentar Observatório da Pandemia, que vai suceder a CPI da Covid no Senado, devem ser conversados na já próxima semana. Autora da proposta, senadora Zenaide Maia (PROS-RN), tem marcada uma reunião com integrantes da cúpula da CPI na segunda (18) e entre os assuntos que serão abordados está a sugestão dos nomes que irão compor a frente.

    De acordo com a senadora, a ideia é que participem os parlamentares que atuaram na CPI da Covid. Isso inclui titulares, suplentes ou mesmo aqueles que atuaram mediante autorização do presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSD-AM), como foi o caso das senadoras. A bancada feninina no Senado apenas conseguiu o direito de participar da comissão após questionarem a ausência de indicação de parlamentares mulheres.

    Também na segunda está prevista a apresentação do relatório final, que deve ser pautado para votação na quarta-feira (20). Após isso, os trabalhos do grupo encerra. É quando, então, poderá ser analisado o projeto que cria a o Observatório da Pandemia. O texto foi apresentado na noite da quarta (13), pela senadora Zenaide. “Protocolamos o documento e, por conta do regimento, ele será analisado assim que os trabalhos da CPI forem oficialmente encerrados”, disse.

    Na avaliação da senadora, uma das principais funções desta frente a ser constituída, e que consta no projeto, é a de receber novas denúncias sobre irregularidades e erros no combate a pandemia. Ela acredita que muito material ainda há para ser coletado. Zenaide também destacou o olhar que a frente terá sobre projetos de lei que ajudem o Brasil a fortalecer o SUS.

    “Vamos seguir o trabalho da CPI recebendo documentos e cobrando respostas. Nosso projeto traz quatro pontos para esta frente: acompanhar e fiscalizar os desdobramentos das investigações da CPI, cobrar responsabilização dos acusados pelo agravamento da crise sanitária, receber novas denúncias sobre irregularidades e erros no combate a pandemia, e propor novos projetos de lei que ajudem o brasil a fortalecer o SUS, que mesmo subfinanciado foi quem mais salvou vidas durante esta pandemia”, disse.


CONGRESSO EM FOCO

Nenhum comentário: